Percorrer o Vale do Côa

A Grande Rota do Vale do Côa é um trilho de 200 km, linear, que acompanha o percurso do rio Côa, desde a nascente (em Fóios, Sabugal) à foz (Vila Nova de Foz Côa). Está marcada nos dois sentidos, sendo possível optar pelo sentido sul-norte ou norte-sul. A GR pode ser percorrida a pé, de bicicleta ou a cavalo.

PREPARAR-SE
Prepare a sua expedição antecipadamente. Consulte as sugestões de etapas e leve-as consigo em formato papel, pdf, ou no seu gps. Pode também criar as suas etapas, analisando o mapa interactivo, onde terá acesso à localização de todos os alojamentos e locais para abastecimento. Consulte a página dos downloads para ter acesso aos ficheiros da rota em .kml e .gpx.

PERCORRER
Evite andar sozinho. Avise sempre alguém conhecido ou alguma entidade acerca do local da sua partida e do seu regresso.
Utilize sempre botas de montanha, roupa impermeável, chapéu e um mapa do trilho consigo.

Evite caminhar em dias de chuva, trovoadas e nevoeiros. Há muitos locais escorregadios, com piso irregular, e travessias de ribeiras e zonas alagadiças. Consulte a página de internet da rota para informação actualizada.
Em dias de mau tempo, o acesso a partes do percurso poderá estar condicionado.

Durante o período crítico de incêndios florestais (julho-outubro), em dias de risco elevado ou máximo, o acesso a partes do percurso poderá estar condicionado. Consulte a página de internet da rota para informação actualizada.

CONSULTE O CÓDIGO DE CONDUTA DA GRANDE ROTA.

Haverá locais onde terá de atravessar portões, respeite a propriedade privada e certifique-se que deixa os portões fechados.

Existem locais onde a Grande Rota de cruza com outras rotas. Tenha especial atenção nas marcações quando atravessar esses locais. LEIA MAIS SOBRE MARCAÇÃO.


ALOJAMENTO
Deverá marcar antecipadamente alojamento.
Em algumas localidades não existem alojamentos organizados, mas poderá pernoitar numa infra-estrutura da Junta de Freguesia local (escolas primárias, salões). Algumas destas não possuem água-quente e deverá levar o seu saco-cama e colchonete. Contacte previamente o responsável em cada localidade epara marcar e obter mais informação sobre as condições da infra-estrutura.

Existem alojamentos que oferecem serviço de transfer. Poderá encontrar informação na página dos alojamentos.

O campismo selvagem é proibido. Acampe apenas em locais autorizados.

ABASTECIMENTO
Em algumas etapas não existem mercearias. Certifique que se abastece nas aldeias anteriores (consulte as fichas de etapa ou o mapa interactivo).
Nos casos em que apenas existem cafés, contacte-os se necessitar de refeições ou outros mantimentos (mapa interactivo).
Poderá utilizar um táxi, cada ficha de etapa tem a indicação da praça de táxis mais próxima.

ÁGUA
Leve sempre água, contando com longas distâncias sem acesso a água potável.
As fontes das povoações não são controladas.

NÃO DEIXE MARCAS
Deixe a Natureza intacta. Evite fazer ruído.
Não existem contentores de lixo, ou serviços de recolha, ao longo do trilho, por isso leve consigo todo o lixo, orgânico ou inorgânico, que produzir.
Se fumar, guarde e leve consigo as beatas do cigarro.
Não contamine os cursos de água e charcas e use sempre produtos de higiene e detergentes biodegradáveis.
Cheire as plantas mas não as leve consigo. Não recolha animais ou rochas e evite aproximar-se de ninhos. Não alimente a fauna silvestre ou o gado.


DESCUBRA
Ao longo do rio Côa, permita-se viajar a um passado distante, quando comunidades nómadas habitavam o vale, deixando registo da sua presença em centenas de painéis de arte que podem ser visitados no Parque Arqueológico do Vale do Côa
Vai encontrar vestígios mais recentes da utilização humana, dos tempos em que ainda se vivia do que a terra tinha para oferecer. Moinhos, noras, poldras e travessias, estrutras criadas para satisfazer as necessidades do povo, até há menos de meio século, usava a força do rio para sobreviver.

Nas aldeias restam os museus, castelos e outros os monumentos históricos que podem ser visitados. Mas descubra também as memórias, narradas na primeira pessoa, dos que viveram e trabalharam todos os dias no vale. Converse, conheça esta gente beirã que continua a escolher este território rural para viver. Celebre as festas locais e saboreie a gastronomia local.

E não deixe de observar como a natureza, lentamente, volta a regressar e a dominar a paisagem. Há uma imensa biodiversidade para descobrir, espécies para fotografar, e duas áreas protegidas para conhecer: a Reserva Natural da Serra da Malcata e a Reserva da Faia Brava.



Sugestão:
Se não dispõe dos dias para percorrer a totalidade da Rota, utilize as sugestões de etapas para passeios de duração mais curta.

percorrer sinais codigo bed taxi2 chegar map arrow telf pergunta
PERCORRER
A GRANDE
ROTA
POSTES E
SINALIZAÇÃO
 CÓDIGO DE
CONDUTA
ONDE DORMIR TAXI  E
TRANSFER
COMO CHEGAR MAPA
INTERACTIVO
DOWNLOADS CONTACTOS
ÚTEIS

QUESTÕES
FREQUENTES



Nome *

Erro, introduza o seu nome!
Email *

Erro, introduza o seu endereço de email!

Estou interessado em (selecione uma ou mais categorias):
Erro, seleccione uma ou mais áreas de interesse!
Apelido *

Erro, introduza o seu apelido!
País *

Invalid Input
Data de Nascimento *

Erro, indique a sua data de nascimento!